Available in:

Enraizar o empreendedorismo sustentável no Nepal

No Nepal, o programa do QIR tem-se concentrado em contribuir para a redução da pobreza através da criação de empregos e de esforços de desenvolvimento do comércio sustentável. O seu apoio aos objetivos de reforço de capacidades institucionais exerceu um impacto centrado numa visão clara do papel do comércio para o desenvolvimento do país e numa forte coordenação com os parceiros de desenvolvimento, sustentada por uma equipa nacional dinâmica no terreno.

 

Os estudos analíticos sobre o comércio apoiados pelo QIR amplamente divulgados, como a Estratégia de Integração do Comércio do Nepal de 2015 (EICN) e a sua versão anterior de 2010, transmitem a principal visão de comércio e desenvolvimento do país, identificam um conjunto de setores prioritários e contam com a forte adesão dos ministérios competentes, como o da Agricultura e Indústria, para além do apoio ativo da Alemanha enquanto Facilitador de Doadores do QIR. O papel da Alemanha é fundamental para manter o comércio no topo da agenda dos parceiros de desenvolvimento, atuando no reforço de capacidades, no apoio às políticas e na monitorização das atividades comerciais.

 

Através de instituições e estruturas bem enraizadas, como o Comité Diretor Nacional do QIR, um organismo interinstitucional, e o Fórum Empresarial do Nepal criado enquanto parte das recomendações da EICN, o setor privado e a sociedade civil foram envolvidos no apoio à agenda comercial. Foram desenvolvidos e implementados projetos que apoiam setores específicos como o gengibre em áreas-alvo com a participação de associações do setor privado e das comunidades no terreno. Este forte diálogo entre todos os parceiros contribuiu para refletir as necessidades colocadas pelas cooperativas locais e incorpora a necessidade de criar melhores condições de vida através do aumento das receitas e das oportunidades de mercado. 

 

No Nepal, o gengibre é uma grande cultura de rendimento na área das especiarias para os pequenos agricultores, com um elevado potencial de receitas de exportação. Para promover esta visão, o QIR, em conjunto com o Fundo para a Aplicação das Normas e o Desenvolvimento do Comércio (STDF) e a Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura (FAO), tem promovido sinergias entre os setores público e privado, as comunidades locais e as cooperativas para melhorar a qualidade e o valor acrescentado das exportações de gengibre através da ajuda à criação de uma unidade de lavagem e transformação, baseada em protocolos de gestão sustentável da água. Prevê-se que esta unidade sirva até 4000 famílias produtoras de gengibre no leste do Nepal, 50% das quais chefiadas por mulheres pobres, e que contribua para o objetivo de crescimento de 25% das vendas de gengibre.

 

O gengibre não lavado não pode ser exportado porque não cumpre as normas sanitárias e fitossanitárias (NSF) obrigatórias e, no entanto, lavar um grande volume de gengibre para exportação exige uma grande quantidade de água que não está disponível em quantidade suficiente na região montanhosa onde o gengibre é produzido. O projeto conjunto do QIR, do STDF e da FAO apoiou a construção de um sistema de lavagem centralizado com a participação de comunidades mais vastas nas áreas-alvo, estabelecido numa região plana onde a extração de água e a gestão dos sistemas de drenagem estão bem fundamentadas ao nível económico, social e ambiental. Tal implica extrair águas profundas para a superfície, remover os sedimentos dos efluentes, reciclar a água sem lodo e repor novamente as águas subterrâneas.

 

Graças ao projeto, cerca de 200 comerciantes irão beneficiar dos serviços de lavagem e 1891 produtores de gengibre (dos quais aproximadamente 60% são mulheres) receberam formação sobre boas práticas agrícolas na produção de gengibre em 54 Farmers Field Schools (Escolas de Agricultura). Prevê-se que a unidade crie mais de 200 empregos temporários, reduza os custos de marketing e as perdas pós-colheita em 30% e melhore os preços disponíveis para o gengibre/produtos de gengibre exportados, criando assim margens brutas mais altas (até 25%) para os produtores de gengibre. Além disso, foi proporcionado reforço de capacidades à Associação de Produtores e Comerciantes de Gengibre do Nepal para a operação da unidade, que foi passada para as mãos da Associação para garantir a sustentabilidade do projeto. Agora os agricultores estão organizados em 54 grupos de produtores, registados nos respetivos Gabinetes de Desenvolvimento Agrícola Distritais no Ministério da Agricultura e ligados à Associação de Produtores e Comerciantes de Gengibre do Nepal, com a participação ativa dos Gabinetes de Desenvolvimento Agrícola Distritais. Estes agricultores e comerciantes irão utilizar a unidade mediante uma contribuição financeira para o Fundo Fiduciário de Promoção do Gengibre do Nepal instituído pela Associação de Produtores e Comerciantes de Gengibre do Nepal para cobrir os seus custos operacionais.

 

Foram desenvolvidos materiais de formação sobre o gengibre, incluindo o manual das Farmers Field Schools, o manual de cultivo e o Livro de Registo dos Agricultores para o gengibre, baseado nas boas práticas agrícolas, acompanhado por sessões de formação ao longo de toda a campanha ministradas pelos Gabinetes de Desenvolvimento Agrícola Distritais através das Farmers Field Schools. Foram disponibilizadas sementes melhoradas ao nível local, promovida a utilização de pesticidas biológicos e iniciada uma gestão bem-sucedida de problemas associados ao caruncho do rizoma, ações que devolveram um nível acrescido de confiança aos agricultores e comerciantes de gengibre no sentido de prosseguirem com as suas atividades na área do gengibre.

 

Os Ministérios do Comércio e da Agricultura, pelo lado do setor público, bem como o Centro Agroempresarial, a ala agrícola da Federação de Câmaras de Comércio e Indústria do Nepal, e a Associação de Produtores e Comerciantes de Gengibre do Nepal, pelo lado do setor privado, formam uma forte parceria na implementação do projeto do gengibre. Esta parceria tem a capacidade de promover a continuação de obtenção de resultados do projeto, especialmente para os beneficiários pobres, e o desenvolvimento de mais infraestruturas de apoio, a criação de redes de contactos entre produtores e comerciantes, a geração e disseminação de tecnologias, a gestão pós-colheita e a melhoria da certificação e rastreabilidade dos produtos. Através do Ministério do Desenvolvimento Agrícola, foi estabelecido o Comité de Gestão de Infraestruturas para complementar o trabalho do Comité de Operação de Infraestruturas estabelecido ao abrigo da Associação de Produtores e Comerciantes de Gengibre do Nepal e do Fundo Fiduciário de Promoção do Gengibre do Nepal.

 

Graças a este empenho e coordenação, o programa do QIR está a contribuir para integrar o empreendedorismo sustentável no setor do gengibre do Nepal. A coordenação comercial em torno das prioridades nacionais está também a revelar-se um modelo de envolvimento consultivo e alargado com as partes interessadas à escala nacional. A unidade de lavagem de gengibre já está a funcionar, proporcionando o investimento necessário para fomentar a produtividade, alcançando aldeias no leste do Nepal, com a Associação de Produtores e Comerciantes de Gengibre do Nepal a assumir a liderança no apoio aos agricultores, produtores e comerciantes de gengibre para que possam cumprir normas mais rigorosas.